Pós-Operatório: Acompanhamento Psicológico

O período do pós-cirúrgico, é de suma importância, visto que, é nesse ínterim que o paciente começa a se adaptar a uma nova realidade totalmente diferente, da qual ele vinha experimentando. Começa uma etapa difícil, no qual o paciente terá que cumprir com rotinas, dietas, horários, mas seus desejos compulsivos incontroláveis de comer errado, continuam existindo.

Nos primeiros três meses, o paciente está em lua-de mel, com a cirurgia, porque não sente fome, obedece os horários, está se reeducado, e, principalmente perdendo o peso desejado, as pessoas já estão notando seu emagrecimento, o paciente começa então a investir mais em si, se sente motivado, sua autoestima aumenta, assim como a sua confiança em seguir as dietas, pois sente-se capacitado , disposto e , capaz de seguir as orientações da equipe multidisciplinar.

Em geral, a partir do sexto mês, o paciente começa a se dar conta, que o processo está surtindo efeito, e, portanto sente-se mais entusiasmado com o seu emagrecimento, já perdeu em torno de 30% de seu peso total, e ,portanto começa a se sentir confiante, e muitas vezes , acaba abandonando o tratamento.

É neste período que o paciente mais precisa de psicoterapia, pois começa a cometer abusos, que irão prejudicar a sua perda de peso. É possível, afirmar, que geralmente os pacientes buscam resolver seus problemas cotidianos, através da comida.

O obeso busca na alimentação um refugio que irá lhe proporcionar todas as gratificações de que necessita, criando assim, novamente a “máscara” protetora, que cria a ilusão de que qualquer sentimento agradável ou desagradável é recebido através da comida como um alívio. Portanto ao emergir algumas dificuldades emocionais que estavam encobertas pelo processo de emagrecimento, o paciente passa a se utilizar de “boicotes”, como forma, de “anestesiar” sentimentos angustiantes, evitando o sofrimento psíquico. Com isso, acaba ingerindo e fracionando alimentos mais calóricos, que acabam prejudicando o seu tratamento.

É nesse momento, que o psicólogo ao trabalhar com as emoções do paciente, o direciona de forma a entender seu processo, ajudando-o a perceber e compreender de forma mais efetiva sua adaptação às fases da cirurgia, bem como, sua nova imagem corporal, reorganização da vida, amorosa, profissional e pessoal, assim como , envolver o paciente no tratamento, para que consiga promover mudanças efetivas, na sua forma de lidar com suas emoções.

CALCULE SEU IMC

Para calcular seu IMC, Informe seu peso: e altura:
IMC Classificação
< 18.5 Kg/m² Desnutrição
18.6 a 24.9 Kg/m² Normal
25 a 29.9 Kg/m² Sobrepeso
30 a 34.9 Kg/m² Obesidade grau I
35 a 39.9 Kg/m² Obesidade grau II
> 40 Kg/m² Obesidade grau III

Observação:
É importante consultar um especialista, pois o IMC não analisa as proporções de músculos, gordura, ossos e água no corpo.
Fonte ASBS.